Alexandra Van Riel Cimino - Personal Trainer, Academia, Fitness, Porto Alegre, RS

DICAS DE SAÚDE

- Fatores de risco cardiovascular

Chama-se fator de risco cardiovascular a qualquer situação que aumente o risco de doença no coração ou nas artérias e veias. Na prática o termo é mais usado nas situações envolvidas na progressão da Aterosclerose.
Também chamados de fatores de risco clássicos. São situações em que há concordância entre os estudiosos quanto a sua participação. São eles:

Idade. A ateroclerose aumenta com a idade. Quanto mais velha a população, maior o risco cardiovascular.

Sexo. O sexo masculino tem risco maior que o sexo feminino, sempre que os demais fatores de risco sejam iguais.

História Familiar.Considera-se como história familiar quando um dos pais ou irmãos apresentou aterosclerose coronariana (Infarto ou angina) ou cerebral (Acidente vascular cerebral) precoce. Precoce significa antes dos 65 anos para mulheres e antes dos 55 anos para homens.

Diabetes mellitus. A ocorrência de doença cardiovascular nos diabéticos não tratados é bem maior que nos não diabéticos.

Pressão arterial. O risco de doenças cardiovasculares e pressão arterial é contínuo, não existindo um nível de pressão onde não possa ocorrer a doença. Para fins práticos, se identificam "níveis de corte", que são valores a partir dos quais passa a valer a pena intervir, ou seja, os benefícios de baixar a pressão arterial são maiores que os malefícios (Hipertensão arterial). Este níveis dependem de vários outros fatores, que determinam o contexto clínico da pessoa.
O fumo é um dos maiores fatores de risco tratáveis

Colesterol. A quantidade total de colesterol no sangue e a distribuição dele nas várias lipoproteínas que o transportam, tem grande influência no risco cardiovascular. O risco também é contínuo, conforme a pressão arterial, e a filosofia do momento de tratamento é a mesma (Dislipidemia).

Fumo. O tabagismo é um dos poucos fatores de risco "por opção". O risco é igualmente contínuo com o nível de consumo, sem existir nivel seguro, abaixo do qual não ocorre a doença.

Atividade física. Igualmente aqui o risco é contínuo. Quanto menor a atividade maior é o risco. O maior risco é no chamado sedentarismo. A tendência é considerar sedentário o indivíduo que, somando as atividades, se exercita menos de 30 minutos por dia.

Voltar

© 2008 Copyright Alexandra Van Riel Cimino desenvolvido por MundiDesign