Alexandra Van Riel Cimino - Personal Trainer, Academia, Fitness, Porto Alegre, RS

DICAS DE SAÚDE

Fonte: JC Online

O jogador pernambucano Lula, medalhista de prata no Pan-Americano de Winnipeg-1999, no vôlei de praia, é um exemplo de corpo sarado e tônus muscular perfeito. Aos 38 anos, causa inveja a qualquer marombeiro. Nos lugares que frequenta, os amigos fazem perguntas do tipo: "Como você consegue manter o corpo assim até hoje?" Desde a adolescência, ele treina duro. E, com o passar do tempo, colheu bons resultados. Nas academias, a ansiedade atormenta quem almeja uma forma perfeita. Mas, assim como Lula, com dedicação, paciência e disciplina, qualquer pessoa pode chegar a um resultado satisfatório, sem apelar para esteroides anabolizantes, as populares bombas, que podem até levar à morte ou viciar psicologicamente o usuário.

Especialistas das áreas de nutrição e musculação garantem o sucesso do corpo, no mínimo, apresentável - e sem exageros. Há uma ressalva: a genética é o fator limite. Não adianta nada se matar de malhar e se exceder nos treinos para aumentar medidas e chegar à marca dos sonhos. Se o seu organismo chegou ao ponto máximo, vale a pena respeitá-lo.

Como atleta de alto rendimento, Lula segue à risca a rotina de treino, o cardápio e os momentos de descanso. Só assim, com ajuda de sua genética, moldou o corpo da maneira ideal. Na busca por uma estampa atlética não existe milagre. "É uma questão de dedicação. Se chegam até a mim, desejando um bom corpo, eu passo as orientações. E mesmo quem não tem uma genética predisposta a grandes músculos vai sentir o resultado. Mas tem de obedecer às regras", comenta Ricardo Ramos, professor de educação física, especialista em fisiologia do esporte.

Uma das principais aliadas da musculação é a nutrição. A ligação é lógica. Se alguém pratica fitness, gasta energia. E se gasta energia, há a necessidade de se alimentar bem - e nunca esquecer o descanso, quando o músculo realmente cresce. "A alimentação e os procedimentos corretos garantem que o músculo cresça", diz a nutricionista esportiva Roberta Costi.

Um dos setores da musculação mais atingidos pelo preconceito é o fisiculturismo. E muitos atletas usam hormônios para competir em alto nível. Mas até esses praticantes devem seguir adiante sem o esteio das drogas. Para a nutricionista esportiva Roberta Morgana, os competidores podem chegar às suas metas sem se bombar. "Se o fator genético for favorável, consegue-se conquistar a forma de competição. É só seguir alimentação correta, treinar e ter paciência. Já tive um cliente fisiculturista que obteve bons resultados", admite Morgana.

Ganho de massa respeitando limite e tempo corretos, como ocorreu com Lula, força o organismo a respeitar uma nova realidade. Quando acontece de forma rápida, essas mudanças, potencializadas pelos anabolizantes, causam estranheza ao corpo. E havendo uma diminuição no ritmo de treino ou desconcentração na dieta tudo vai por água abaixo. "Na mesma rapidez em que se perdeu peso e ganhou músculos, tudo vai embora. Essa é outra vantagem de chegar a um bom corpo de forma saudável", conclui.

 

Voltar

© 2009 Copyright Alexandra Van Riel Cimino desenvolvido por MundiDesign